quinta-feira, novembro 23, 2006

Continente

Normalmente não participo de concurso. Três motivos: falta de tempo, desinteresse pelo prêmio e excesso de concorrentes. O primeiro é uma constante, os outros dois são inversamente proporcionais. Se for boa a recompensa, enche de candidato, mas se ninguém se apresenta, não sou eu que vou me afobar por uma raspa do tacho qualquer.

A exceção foi esse concurso para escolher a marca da Proantar. Deste eu participei, porque o prêmio era muito atraente, sem despertar a cobiça de muitos outros postulantes. Proantar é o instituto brasileiro de pesquisas na Antártida. O prêmio era uma viagem para lá.

Hoje eu gostaria de ter todos os álbuns dos Beatles e de botar o pé em todos os continentes. Não vejo outra razão para alguém querer visitar a Antártida, por isso achei que tinha boas chances. Não que esse tipo de público deva ser desprezado. A maior parte da receita turística de Liechtenstein, por exemplo, vem de viajantes que se desviam da estrada entre a Áustria e a Suíça para tirar uma foto no principado. Não é pouca gente. Mas eles têm que saber fazer uma marca. E têm que saber fazer melhor do que eu.

Tirei segundo lugar no concurso. Recebi uma carta que dizia, parabéns, sua marca foi selecionada, use o código em anexo no guichê da TAM para confirmar sua reserva no vôo para Brasília. Embarquei. Quando cheguei me levaram a uma sala de reuniões. Numa das cadeiras estava sentado um cara um pouco mais velho do que eu, que tinha o topo de uma das orelhas decepada, e penteava por cima tentando disfarçar. Logo depois chegou um outro que disse que era do marketing, e que as duas marcas eram ambas muito boas, eles não souberam se decidir. Eu supus então que o camarada sem orelha era meu adversário.

Vou distribuir os testes, o cara do marketing disse, e quem apresentar respostas que batam mais com o perfil da Proantar ganha.

Eles não conseguiram optar por nenhuma das marcas, aplicam uma prova. Vamos lá. Primeira questão: ursos polares comem pingüins?

Pegadinha. Minha resposta: não, pois um vive no polo norte e outro no polo sul.

Resposta do sujeito sem orelha: sim, pois apesar de habitarem polos opostos, um urso polar, se posto em contato com um pingüim, vai comê-lo.

Babaca. Segunda questão: se a Antártida se tornasse independente, em quem você votaria para presidente? A- Al Gore, B- Alan Greenspan, C- Miguel Ethinique.

Marquei B. Pelo nome, achei que tinha alguma coisa a ver com ecologia. Ele marcou A, já tinha visto o filme. Pelo menos não escolhi a letra C, o presidente da Brastemp. Acho que teria sido desclassificado. CFC.

Terceira questão: Qual é o seu filme favorito sobre a Antártida?

Filmes na Antártida? Gosto daquele comercial da Hollywood, os alpinistas escalando um iceberg para fumar. Ele colocou “La marche de l’Empereur”, escreveu até em francês, o filho da puta.

Quarta questão: Que ator de filmes de ação seria o mais indicado para proteger a Antártida?

Me senti brilhante: Arnold Schwartzenegger, que interpretou o Mr. Ice num filme do Batman.

A resposta dele: Steven Seagal. Nada de heróis de metralhadoras, elas danificam as geleiras. Dos praticantes de artes marciais, Seagal é o mais discreto, é mestre de aikido. Grita menos e o impacto com o solo depois do pulo é menor. O ambiente agradece.

Depois reparou que eu via por cima do ombro as respostas dele:

– Professor, ele tá colando!

– Eu não sou seu professor. Faz a prova – disse o cara do marketing.

– O quê? – disse o sem orelha.

– Faz a prova e fica quieto.

– O quê?

– Ele mandou você calar a boca.

– O quê?

– Olha que eu desclassifico os dois.

Eu não acredito que um camarada assim possa ter feito uma marca tão boa quanto a minha. Ele era o quê, membro de algum fã-clube do polo sul? Como é que sabia tanta coisa? Será que a mãe dele ficou com raiva por ter tido um filho só com meia orelha e o prendeu no quarto estudando geografia pra ganhar dinheiro às suas custas em programas de crianças-prodígio nos Estados Unidos? Ou perdeu a orelha brigando com o pai bêbado que vomitou em cima do seu atlas?

Quinta questão: se para poder viajar à Antártida, você tivesse que se privar de um dos cinco sentidos, qual deles descartaria?

Resposta dele: Audição. A surdez é até vantajosa, pois o contraste da paisagem bruta com o silêncio absoluto aumenta o impacto da experiência.

Esse cara tem algum parente na empresa, não é possível. Escrevi, só de implicância, de todos os sentidos só não abro mão da audição. Eu não existo sem meu iPod.

Sexta questão: se viajar pra lugares exóticos fosse um passatempo infantil, qual seria?

Resposta dele: um caça-palavras. As maiores surpresas estão na diagonal invertida.

Eu: O mundo é um álbum, os países são as figurinhas. Completou, guarda no armário, só não dá pra trocar repetida.

Acho que essa última questão me fechou as portas definitivamente. Melhor. Parece que o navio pra lá naufragou.

18 Comments:

At 8:53 AM, novembro 24, 2006, Anonymous Anônimo said...

IIIhhhh!!!!!!!!!Maluco beleza!!!

o cara está otimo!!

me amarrei!!!

beijos
mãe
 

At 2:32 PM, novembro 25, 2006, Anonymous Bárbara said...

A-do-rei essa, muito boa.

bjs
 

At 5:10 PM, novembro 26, 2006, Blogger Rodrigo Rego said...

Ah, bárbara, tinha tempo que vc não aparecia! bj!
 

At 9:43 PM, novembro 27, 2006, Anonymous Douglas said...

Procura por "Where the hell is Matt", e vê o videozinho del =]
 

At 10:06 PM, novembro 27, 2006, Anonymous paula said...

é, foi isso aí que eu falei pra vc procurar!!
 

At 9:55 AM, novembro 28, 2006, Blogger Rodrigo Rego said...

quer dizer que se eu ficar macaqueando aquela dança idiota eu posso ir pra Antártida? Não sei se tenho culhão pra esse tipo de prostituição.
 

At 5:39 PM, novembro 29, 2006, Anonymous Daniel Veloso said...

é séria essa história?!
Não é possível, ela é insólita demais para ser real.
Sério, isso aconteceu mesmo?
Porque esse é o tipo de coisa que só acontece em seriados tipo simpsons, uma família da pesada ou seinfeld.

Chorei de rir...
 

At 12:20 AM, novembro 30, 2006, Anonymous Douglas said...

Aconteceu sim, eu conheço um dos caras que entrevistou o Rego
 

At 10:34 AM, novembro 30, 2006, Blogger Rodrigo Rego said...

É sério mesmo, hoje eu e o cara sem orelha somos amigos. Ele se chama Douglas, e é meio cabeçudo também. Se quiser depois te mando umas fotos da Antártida que ele tirou.
 

At 12:17 PM, novembro 30, 2006, Anonymous Luyza said...

oi rodrigo,

gostei muito desse tb. com o logo ficou melhor ainda. so q eu me senti deslocada com a pergunta: "serio, isso aconteceu mesmo?".
Fiquei com a sensacao q nao cabia na historia... mas enfim, cada um com suas questoes. a minha ainda eh entender essa cirugia em sincronia perfeita do ultimo post. e a anestesia? bem, talvez tenha entrado demais no clima.
alias, ja contei pra tanto alemao o seu roteiro de Goodbye Lenin/Untergang q acho q vou fazer uma traducao qq dia desses. os com senso de humor adoram...

viele Gruesse
 

At 1:43 PM, novembro 30, 2006, Blogger Rodrigo Rego said...

Oi Luyza!

Não entendi o seu problema com a pergunta. Fiquei imaginando se vc não está pensando que Daniel é um pseudônimo inventado para fazer perguntas ingênuas como essa e corroborar a história. Pior que não é, ele é de verdade mesmo, e estuda, pasme, na Esdi...

A coisa da cirurgia, não sei, os médicos não podem ser simples médicos, têm que ser como atletas de nado sincronizado, no momento que um desligar os circuitos do outro, o outro tem que desligar os circuitos do um, num intervalo de tempo menor que a demora da transmissão neural do cérebro ao braço. Assim acho que daria certo, e a anestesia pode ser local, só na pele e no osso do crânio...

Já o Adeus, Hitler!, que coragem é essa de sair espalhando essas coisas apócrifas a esmo assim em plena Deutschland, Deutschland, über alles... Aliás, como vai o mestrado? Vamos conversar um dia no msn, rodrego2@hotmail.com .
 

At 6:30 PM, dezembro 02, 2006, Anonymous Fabiana said...

Gostei muito do texto!
Quero ver as fotos do cara sem orelha!
Por algum motivo, imagino que elas terão todas uma faixa cortada...
Posta aí!
 

At 12:01 AM, dezembro 05, 2006, Anonymous Daniel said...

Afinal o homem sem orelha existe mesmo né? Só imagino q a disputa não tenha sido assim tão pau a pau qto vc contou. Eu vi alguns trabalhos dele e realmente até q o cara manda bem. Ele é até conhecido no meio.
Muita ingenuidade a sua achar q podia superá-lo. Mas até aí tudo bem. Triste é vc tentar negar sua existência.
O cara tem até um site:
http://www.angelfire.com/creep2/peep/

Mais sorte na próxima vez...
 

At 10:00 AM, dezembro 06, 2006, Blogger Rodrigo Rego said...

Acho que o sujeito sem orelha está ganhando um status cult neste post que não era para. Agora surgem as primeiras especulações em torno do Van Gogh. Devia ter dito que ele não tinha um olho, pra preservar melhor o anonimato.
 

At 4:58 PM, dezembro 06, 2006, Blogger Rodrigo Rego said...

http://www.memoria.cnpq.br/areas/terra_meioambiente/proantar/index.htm

pra quem quiser ver a marca da proantar que venceu a minha...
 

At 2:56 AM, dezembro 22, 2006, Anonymous Anônimo said...

Fala, filho!
Cara, tem muito tempo que eu não leio o seu blog, e na verdade eu nunca postei.
Mas deixei de preguiça e resolvi só deixar registrado o que eu sempre te disse:
que você é muito £&*% e que escreve bem pra ¢@§ª£&#!
Esse post (e todo o resto) tá MUITO bom!
Pelamordedeus, publica esses textos num livro quando eles couberem numas 200 páginas! E desenhe a capa!
Abração,
Rico
 

At 10:37 PM, janeiro 20, 2007, Anonymous Samara Maia Mattos said...

oi Rodrigo,

tive que comentar esse... em se tratando de um texto seu, eu não acreditei em nada do que estava escrito. entrei nos comentários pra verificar se era mesmo verdade.

como sempre, maravilhosa a maneira como você escreve. concordo com o Ricardo. depois, junta tudo e publica um livro.

eu juro que eu compro. e vou na noite de autógrafos.

grande beijo.
Samara.
 

At 11:36 PM, janeiro 22, 2007, Blogger Rodrigo Rego said...

Oi Samara! Bom saber que vc ainda lê isso aqui!

Essa coisa de transformar em livro, não sei se funcionaria. A estrutura é de blog mesmo. Prefiro deixar assim.

Mas enfim. A história não é totalmente mentirosa. Ou vc acha que eu desenhei um logo só pra dar veracidade?

O blog volta em uma semana e meia. Volte vc tb!
 

Postar um comentário

Profile

Rodrigo Rego

Sou designer, fascinado por bandeiras, jogos de tabuleiro, países distantes, e uma miscelânea de assuntos destilados quase semanalmente neste espaço.

Visite meu site, batizado em votação feita aqui mesmo, Hungry Mind.

rodrego(arroba)gmail.com
+55 21 91102610
Rio de Janeiro

Melhores Posts
Posts Recentes

Powered by Blogger

Creative Commons License