sábado, agosto 25, 2007

Como se posicionar num ônibus cheio

Sempre que eu dirijo tenho a impressão de que vou matar alguém, por isso é raro alguém me flagrar ao volante. Até pegava o carro com mais freqüência nos primeiros meses de namoro, mas desde o incidente com a colméia que eu e Paula concluímos que todo mundo ganharia se fosse ela a motorista oficial. E desde que assumi o controle do porta-luvas, suas crises de hipertensão diminuíram muito.

Por isso tenho sido a vida inteira um passageiro de ônibus. Hoje se completam quinze anos da minha primeira viagem sozinho, e nesta data festiva resolvi passar adiante todos os meus conhecimentos acumulados.

A aula de hoje é a mais importante de todas: Como se posicionar num õnibus cheio para garantir um assento rápido.

Vamos construir o seguinte cenário: duas pessoas entram no ônibus no seu ponto, uma velhinha e você. Você educadamente lhe concede a frente. Ela passa na roleta, você passa na roleta. Ela pega o último lugar vago no ônibus e você amaldiçoa três gerações dela por ter que ficar em pé.

Mas para quê tanto escarcéu? Pensemos pela metade cheia do copo. Ela se sentou no pior lugar do ônibus, na última fileira, entre a janela e o banco do corredor. Está sufocada por um sujeito sinistro, supostamente dormindo, coma cara enfiada na toca de hip-hop, e por um gordo esfarelento com seu saco de Ruffles. Você tem o ônibus para si. O próximo assento a vagar vai ser seu, e será melhor que o da velhinha. Isso nos leva à primeira lição:

1: Nunca sente no pior lugar do ônibus. Ficar em pé é investir num assento melhor.

É claro que nem sempre você será o único em pé. Pessoas entram para a disputa, ou você é que entra pra disputar com elas. Nesse ambiente hostil começam a se formar áreas de influência. A sua área de influência é a fatia de bancos cujas vagas serão incontestavelmente suas, de acordo com as leis da proximidade. Procure sempre ter a maior área de influência possível. Isso leva a duas novas lições:

2: Se houverem poucos concorrentes, posicione-se entre o último deles e os fundos do ônibus.
Faça o possível para obstruir a passagem dos novos concorrentes. Quando não for mais viável, adote a lição #3.
3: Posicione-se sempre no meio da maior lacuna que houver no ônibus.
Algumas vezes, entretanto, o ônibus está tão cheio que não existem lacunas, e as áreas de influência ficam restritas. Nessas horas, existem duas táticas possíveis, descritas nas duas próximas lições.

4: Posicionamento em trinca. Quando assume essa formação, o passageiro garante uma área de influência de três bancos. Ele se posiciona entre dois bancos de uma das fileiras, ganhando o direito de se sentar num dos dois bancos ao seu redor ou no banco diretamente atrás.
Mas é preciso ter timing para saber até quando sustentar essa posição, pois conforme o ônibus vai enchendo as pessoas vão se acomodando onde for possível, e os vizinhos cada vez mais espremidos podem te deixar sem direito a nenhum assento.
4A: A melhor posição para a trinca é nos fundos do ônibus, desde que você não se incomode com o sacolejo e o aperto. Com uma trinca de fundos você ganha direito a nove assentos, mesmo com o ônibus cheio.

5: Para ônibus realmente lotados, é preferível o posicionamento unitário. Coloque uma das mãos na alça de ferro de um dos bancos, e a outra na barra vertical vizinha. Isso faz de você o postulante inegável para o banco que envolveu, posição que pode ser garantida até nos ônibus mais cheios.
5A: A menos que você seja um entusiasta da janelinha, nunca se posicione em frente a marido e mulher, mãe e filho ou mesmo duas pessoas conversando. A probabilidade de que ambos saiam juntos é grande, diminuindo as chances de vagar um assento.

Agora você já sabe o básico sobre posicionamento em ônibus. Olhe no relógio. Hora de sair do trabalho? Hora de ir pra faculdade? Vá praticando.

11 Comments:

At 2:04 AM, agosto 26, 2007, Blogger Alexandre Van de Sande said...

1-incidente da colmeia?

2-voce esqueceu de uma lição importante: fique de olho em quem está sentado. Se a pessoa está calma ou dormindo, o assento nao vai vagar tão cedo. Estudante de escola pública costuma não demorar a levantar. Com o tempo você vai aperfeiçoando-se na arte de descobrir em que ponto tal pessoa vai saltar.
 

At 9:37 AM, agosto 26, 2007, Blogger Rodrigo Rego said...

2: tenho tentado detectar padrões para o lugar onde as pessoas vão saltar de acordo com a fisionomia / roupa, mas até agora minhas tentativas foram infrutíferas...

1: é, incidente da colméia...
 

At 2:54 PM, agosto 26, 2007, Blogger Janco Tianno said...

eu já uso algumas dessas técnicas normalmente, mas agora é só aprimorar.

eu achpo que rola uma correlação também de posicionamento. pode ser impressão minha, mas acho que quem senta nos bancos de trás tende a levantar antes.
 

At 3:29 PM, agosto 26, 2007, Anonymous Anônimo said...

Di,

As dicas suas e de seus amigos sao mesmo otimas.Como só ando de onibus, vou usar todas elas e observar mais.
O que faço sistematicamente é tentar saber se o assaltante está dentro do onibus quando entro , e, ficar observando quem entra até no Aterro -eles sempre assaltam qdo o onibus entra no Aterro . Se vejo alguem estranho, com cara de assaltante, ou similar, desço do onibus na hora. Já fui assaltada tantas vezes no onibus que estou especialista.
bjs,
 

At 9:10 PM, agosto 27, 2007, Anonymous paula said...

é vero, ficaram faltando dicas de como evitar assaltos...
no mais, nenhuma dessas dicas aí vale pro 485 saindo do fundao às 5 da tarde, uma das minhas poucas (mas traumatizante) experiencias com onibus.
 

At 10:53 AM, agosto 28, 2007, Blogger Mauro said...

Genial, especialmente as ilustrações. Só achei estranho que esteja todo mundo em pé se todos os assentos estão vagos.
Na verdade, acho que nem todos os seus 15 anos de experiência contam, porque recentemente a porta de estrada passou para a frente do ônibus, enquanto a porta de saída pode ficar no meio ou nos fundos. Quando a porta fica no meio eu evito sentar atrás da porta (O meliante pode saltar do ônibus sem cruzar com nenhuma testemunha). Acho que será necessário um post exclusivamente sobre o incidente da colméia ou sobre a arte de evitar assaltos.
 

At 11:49 AM, agosto 28, 2007, Anonymous Anônimo said...

Se tiver um post sobre a arte de evitar assaltos, eu tenho uma pilha de consideraçoes a fazer. Tecnicas boas, que muitas vezes funcionaram.
O incidente da colmeia tb quero saber. sou curiosa....
[]'s
 

At 4:58 PM, agosto 28, 2007, Blogger Rodrigo Rego said...

Eu nunca fui assaltado em ônibus, então (in)felizmente não tenho experiência para fazer um post sobre o tema, mas fiquei impressionado com o interesse. Quem quiser dar sua contribuição, é só fazer "um post dentro do post" nos comentários.

Quanto ao incidente da colméia, fico envergonhado de descrevê-lo, melhor pedir pra Paula.

Quanto à questão de quem senta atrás sai mais rápido, eu também tenho a mesma impressão. No entanto, atrás a quantidade de gente em pé é menor, porque chacoalha mais. Por isso, essa impressão pode vir da concorrência menos acirrada, e não necessariamente do nomadismo dos passageiros de trás.
 

At 3:58 PM, agosto 31, 2007, Blogger Leandro Camacho said...

Eu sempre usei a tática do banco de trás, mas um dia eu bati a cabeça no teto do ônibus depois de um solavanco. Aí eu desisti.
 

At 8:03 PM, março 27, 2008, Anonymous Anônimo said...

Mto legal msm, parabéns.......... vou seguir essas dicas! hauahu
Valesca ^.^
 

At 8:03 PM, março 27, 2008, Anonymous Anônimo said...

Mto legal msm, parabéns.......... vou seguir essas dicas! hauahu
Valesca ^.^
 

Postar um comentário

Profile

Rodrigo Rego

Sou designer, fascinado por bandeiras, jogos de tabuleiro, países distantes, e uma miscelânea de assuntos destilados quase semanalmente neste espaço.

Visite meu site, batizado em votação feita aqui mesmo, Hungry Mind.

rodrego(arroba)gmail.com
+55 21 91102610
Rio de Janeiro

Melhores Posts
Posts Recentes

Powered by Blogger

Creative Commons License