domingo, junho 17, 2007

Herói do sabonete

Sofri uma tentativa de assalto outro dia, ou pelo menos acho que. De repente não. Um sujeito maltrapilho chegou falando gingado do meu lado, bigodinho ralo, mulato, camisa velha. Isso umas sete da noite, no vácuo de cidade entre o Downtown e o Cittá America.

— Ae… fala nada.

Não esperei o resto do papo, corri. Nunca mais o vi na vida. Mas depois bateu remorso, talvez não fosse um assalto, talvez ele complementasse:

— Fala nada, estamos perto de um hospital (que não estávamos).

— Fala nada, meu bebê está dormindo (que não havia).

— Tem um marimbondo na sua orelha (difícil).

E agora sinto orgulho por essa covardia que pode ter magoado um homem de bem. Ou mesmo que não fosse, supondo-o o vira-latas oportunista que parecia, fica óbvio que algo se perdeu entre a forma romântica com que eu ambicionava enfrentar a bandidagem quando criança, e essa corrida apavorada da semana passada. Eu moleque sonhava que se alguém invadisse minha casa, o atacaria com um sabonete e o faria engoli-lo inteiro. Não conseguia imaginar tortura maior que sentir aquele perfume escorregadio se pastificando goela abaixo, glicerina mastigada, gordura rosa ensaboando a glote sufocada.

Não tinha planejado como desviar dos tiros, mas tinha certeza que o ladrão ficaria tão surpreso com esse ataque insólito, que enquanto cambaleasse arrotando bolhas pelo quintal, o cachorro já teria comido o bife, se recuperado do chute, e faria o resto do trabalho, não me cabendo portanto a tarefa suja de matar o homem.

Mas hoje eu já não sou macho suficiente nem para reagir, hoje eu só corro. Vergonha. A partir de segunda, levo um sabonete na mochila.

4 Comments:

At 7:07 PM, junho 17, 2007, Blogger Alexandre Van de Sande said...

eu entendo esse remorso. Um dia tava andando em copa a noite e um cara com cara de honesto, mais velho veio me abordar. Desviei antes mesmo de pensar e segui meu caminho.

Depois sim, bate uma dó de ser cruel assim com alguém que podia ser só um sujeito precisando de ajuda..

Mas, sinceramente, não era o seu caso.

aliás? sabonete?
me lembra um historia do tintin que ele se livra de uma oça dando uma esponja pra ela comer e depois enchendo ela de água..
 

At 12:46 PM, junho 18, 2007, Anonymous Matilde said...

RACISTA DESGRAÇADO AÇOITADOR!
 

At 12:09 AM, junho 29, 2007, Blogger Mauro said...

Trabalhando muito, suponho.
 

At 6:13 PM, junho 29, 2007, Blogger Rodrigo Rego said...

pois é, tá complicado
 

Postar um comentário

Profile

Rodrigo Rego

Sou designer, fascinado por bandeiras, jogos de tabuleiro, países distantes, e uma miscelânea de assuntos destilados quase semanalmente neste espaço.

Visite meu site, batizado em votação feita aqui mesmo, Hungry Mind.

rodrego(arroba)gmail.com
+55 21 91102610
Rio de Janeiro

Melhores Posts
Posts Recentes

Powered by Blogger

Creative Commons License