quinta-feira, março 29, 2007

Suvaco do Cristo

Esse desfila pelas ruas Faro e Jardim Botânico. Foi um dos primeiros da nova geração de blocos cariocas, com o primeiro desfile em 1986, um ano depois do Simpatia. Mas ao contrário do antecessor, o Suvaco tem um espírito bem mais sacana e político, com sambas pouco ligados à tradição e muito afeitos ao aqui agora da cidade. As letras funcionam como crônicas e não como poesia, tendência que é imitada por vários blocos mais recentes. O Cristo do nome, claro, é a estátua do Corcovado, cujo suvaco direito fica bem em cima do itinerário do bloco.

As bandeiras do Suvaco do Cristo foram as que mais demoraram a sair. Foram as primeiras a serem esboçadas e as últimas a serem finalizadas, porque seu conceito era o mais difícil de captar. Como os temas do bloco costumam girar em torno de atualidades, fica difícil fazer um retrato sem prazo de validade. Por isso não podiam aparecer nas bandeiras menções ao governo Lula, apagão aéreo, Pan 2007, ou qualquer tema que fosse notícia do ano mas se tornasse ultrapassado logo depois. Mas ao mesmo tempo, tinha que ficar claro que o Suvaco era um bloco que zombava da política e do cotidiano do Rio.

A idéia final foi descer o Cristo de seu pedestal nas alturas e misturá-lo ao caos urbano carioca em quatro bandeiras-ambiente: na favela, na praia, no trânsito e dentro do próprio bloco. Os ambientes da bandeira são compostos por recortes modulares, que diminuem o tempo de confecção apesar da complexidade. As cores do bloco, verde e azul, são predominantes, mas são esporadicamente quebradas por cores quentes, imepedindo a monotonia. As bandeiras funcionam em três tipos de combinação: sozinhas, como na rua Faro, com vários cristos lado a lado, formando uma corrente de cristos em diferentes ambientes, e com um cristo isolado em meio a outras bandeiras semelhantes.

2 Comments:

At 6:49 AM, abril 05, 2007, Blogger Luyza said...

gostei da favelinha, o transito otimo (mais caracteristico desse trecho impossivel), mas a praia ainda ta um pouco longe, nao? O cristo parece um fantasma com esse bocao, hehe, ta simpatico...
 

At 3:36 PM, abril 12, 2007, Blogger Rodrigo Rego said...

Eu ja ouvi essa critica antes, mas discordo. Das quatro bandeiras, a do transito é justamente a que eu acho menos bem resolvida, porque ficou muito figurativa. Os outros são formas um pouco mais abstratas, que são melhor entendidas no contexto, enquanto os carrinhos são meio óbvios.
 

Postar um comentário

Profile

Rodrigo Rego

Sou designer, fascinado por bandeiras, jogos de tabuleiro, países distantes, e uma miscelânea de assuntos destilados quase semanalmente neste espaço.

Visite meu site, batizado em votação feita aqui mesmo, Hungry Mind.

rodrego(arroba)gmail.com
+55 21 91102610
Rio de Janeiro

Melhores Posts
Posts Recentes

Powered by Blogger

Creative Commons License