sábado, novembro 10, 2007

Duvidinkas

O brainstorm de nomes de domínio superou minhas expectativas. As sugestões variaram de anagramas a palíndromos, de trocadilhos com meu nome a trocadilhos com extensões de países. Mas de todas, a que mais me seduziu foi dudinka.com. Ela abre um monte de possibilidades ótimas, mas ao mesmo tempo tem vários senões. Então pra quem não acompanhou a discussão anterior, ou continua dando idéias desmioladas, chegou a hora de estreitar o debate. Vou enumerar as qualidades e problemas que encontrei no nome, e vocês me dizem o que acham. Primeiro as qualidades:

- é um nome que soa divertido;
- remete imediatamente a jogos de tabulero. E por mais que esteja longe de ser este o meu foco de atuação, eu acharia ótimo que no futuro fosse;
- a principal, é o nome de um lugar remoto sobre o qual ninguém tem informação. E que pode portanto ser escalafobeticamente recriado, com sua cultura peculiar, idioma intransponível, fauna e flora, história, produtos insólitos de exportação, etc. Eu adoro inventar países (o que já transpareceu aqui mais de uma vez), e acho que uma nação fictícia é uma boa metáfora para um site próprio.

Imagino a home com um mapa de Dudinka ilustrado com seus principais marcos geográficos, cidades e monumentos (alguns deles clicáveis). Animações esporádicas poderiam intervir ali dentro, aviões passando, ursos polares, testes nucleares, sei lá.

Rodeando o mapa, estão links para seções com informações sobre Dudinka. Algumas seções são totalmente inventadas, e outras são metáforas para o conteúdo importante do site. Alguns exemplos:

- governo, que leva ao meu perfil e currículo
- jornal de Dudinka > blog
- literatura > outros textos
- mercado popular > portfolio de design gráfico
- centro tecnológico > portfolio de web
- como se divertir em Dudinka > portfolio de jogos
- fronteiras > uma mistura de links de amigos e países bárbaros vizinhos
- história > epopéia inventada do bravo povo dudinkita
- fauna > animais exóticos
- e outros, que podem ser acrescentados pelo caminho.

Fico impelido a roteirizar isso tudo agora, mas não quero me dedicar enquanto não tiver certeza da validade da idéia. Algumas questões ainda me incomodam:

- a mesma dúvida do cartola: eu quero mesmo ser conhecido por dudinka.com pelo resto da vida? Ou será que daqui a um ano a idéia cansa?
- é compatível misturar país fictício com portfolio? Faz sentido um site todo metafórico de repente ficar sério? Por exemplo, ao entrar em “mercado popular”, caio numa página que descreve objetivamente projetos de design gráfico. É plausível? Se não for, dá pra contornar?
- será que a metáfora compensa a falta de obviedade da navegação? Um visitante de primeira mão jamais vai imaginar que “como se divertir em Dudinka” vai dar num portfolio de jogos. Será que o encanto com o site fará a maioria entrar no espírito e explorá-lo, ou ninguém vai ter paciência?
- é essa a imagem que eu quero passar a todo o meu público-alvo? Não me preocupo com outros designers nem leitores do blog, acho que estes assimilariam. Mas e clientes de freelance? Confiariam sua marca a alguém que se expõe de forma tão inusitada?
- pode acontecer de a Dudinka real me processar se eu usar o nome deles no meu domínio?

Me digam vocês.

13 Comments:

At 12:31 PM, novembro 10, 2007, Blogger Alexandre Van de Sande said...

claro tem o pequeno detalhe que dudinka não é uma cidade fic†icia mas uma vila na russia com uns 50 mil habitantes.

Tudo bem é o mais no meio do nada que você pode chegar na terra, mas o dominio .com org net e todos os outros ja estao comprados entao teria de ser projetodudinka, conspiracaodudinka dudinkaland ou algo assim.

em termos de bavegacao eu sou contra misturar navegacao com metafora demais: pode ser legal colocar um subtitulo Diversao em dudinka (portfolio d ejogos menorzinho), mas eu acho sempre perigoso estender a metafora demais.

tirando tudo isso é o meu favorito sim.
 

At 12:39 PM, novembro 10, 2007, Blogger Rodrigo Rego said...

É, eu sei que não está, mas realmente como vc mesmo falou existem muitas alternativas. Só fiquei chateado pq até o .com.br nao tem mais.

E se os botoes fossem diferenciados, tipo, os ficticios sao pretos, os importantes sao vermelhos, ou ficam em lugares diferentes na pagina, quem sabe?

Na verdade nada contra escrever embaixo, só colocando mais ideias na mesa.
 

At 5:53 PM, novembro 10, 2007, Blogger Mauro said...

Se fosse para usar lugares fictícios, eu usaria a boa e velha Pomerânia. Tem o problema da falta de acento, iam achar que é pomerania... não confie em mim para essas coisas.
 

At 7:57 PM, novembro 11, 2007, Blogger Rodrigo Rego said...

Pomerânia também é uma boa idéia, mas tem exatamente os mesmos problemas de Dudinka.
 

At 6:27 PM, novembro 12, 2007, Anonymous Lili said...

Eu acho um pouco piração demais. Acho boa a idéia de brincar no site, dele não ser tão formal, mas sei que as pessoas não têm muita paciência para explorar sites com muitos desdobramentos, ainda mais se o link que elas clicam não levam exatamente ao que elas esperam. Acho perigoso. Mas quem não arrisca não pode nunca ter sucesso (acabei de assistir Elizabethtown).
E eu não saberia que Dudinka tem a ver com jogo de tabuleiro. Nem com cidade russa.
Acho que criação, pra ser acessível, não pode extrapolar um limite (tênue) de lógica. Não sei para os outros mas, pra mim, essa coisa toda de Dudinka extrapola esse limite.
Bjo.
 

At 6:28 PM, novembro 12, 2007, Anonymous Lili said...

Não sei se fiquei muito velha-coroca, fiquei?
 

At 8:07 PM, novembro 12, 2007, Blogger Mauro said...

Será que a agência de publicidade "África" se preocupou com isso?
 

At 9:04 AM, novembro 13, 2007, Anonymous Anônimo said...

Concordo com a velha coroca Lili.

Acho que voce deve fazer dois sites, um com seu blog, jogos e tudo o mais ,e, o outro profissional e curriculo.
Nao misture as estaçoes..
bj,
 

At 12:18 AM, novembro 14, 2007, Blogger Rodrigo Rego said...

Estou começando a achar que este nome é um pouco demais da conta mesmo. Talvez quem eu quero que me leve a sério não entenda e desconfie, e quem não precisa necessariamente levar a sério não vai achar tanta graça (porque achar graça disso talvez dependa de me conhecer, das minhas idiossincrasias, essas coisas).

Mas dividir o site em dois é um pouco demais, isso não farei.

A idéia de dudinka.com ainda é aproveitável, entretanto. Gostaria de fazer um site sobre um país falso. É um belo projeto pessoal, mais um pra fila.
 

At 3:12 PM, novembro 15, 2007, Blogger Luyza said...

ok, preciso defender a recem formada e ja prestes a desmoronar patria dudinkense.

1. ja que escolhemos essa profissao e nao a de engenheiros, acho q temos q aproveitar essa brecha. Acho q o seu portfolio, pagina pessoal pode e deve ser encarado com um dos seus projetos e deve falar de vc mais do que o link "governo de dudinka" poderia conter em texto. Se tem um lugar pra vc ser criativo e mostrar todo seu potecial eh seu portfolio. Eu me perguntei varias vezes se deveria encarar meu portfolio somente como uma janela transparente pro meu trabalho, sem muito floreio ou se deveria ser um projeto por si so, com muito tempo investido... optei uma vez pela ideia projeto, a segunda ja esta indo mais na outra direcao transparencia. Mas ainda acho sem graca o portfolio listao de uma pagina so, acho q diz pouco do autor/eu-lirico.

2. eh perigoso? sim, muito. mas se ficar bom, vai ficar bom pra kct.

3. o ponto de separar a navegacao brincadeira da seria eh algo a ser relevado, pode ajudar quem quer ser objetivo no pais inventado (seus clientes de freelas?). vc pode ter varios links pro mesmo lugar, pra nao ter perigo de alguem nao achar (diversao em dudinka + portfolio de jogos). Mas esse seria um problema pra ser visualizado e nao discutido...

4. Se vc enjoar de ser dudinka, nao renova o contrato e faz um brainstorming de nome aqui a um ano de novo.


Sobre os clientes nao te levarem a serio pelo portfolio inusitado... sim, eh arriscado. Seus leitores consiguem ver qualidades argumentativas e narrativas mesmo num texto q seja sobre o concurso de marca pra ganhar uma viagem pra antartida. O tema nao-serio nao os faz achar o autor nao-serio, pelo contrario, bastante competente conseguir desenvolver um texto nonsense num tom tao serio q no fim vc fica na duvida. E se vc nunca tivesse colocado a pista do andy kaufmann, poderiam estar na duvida ate hj. Se os clientes de freela conseguiriam ver a qualidade atraves do objeto, boa pergunta. Acho q muitos podem morrer na praia.

Por essas e outras acho a ideia consistente, tem inumeros riscos e desafios envolvidos. Acho que o maior risco eh virar uma referencia interna de designers e na verdade o resto dos mortais nunca viu nem jogou war.

Eu achava que eles nao existiam, q ignorancia. Alias, pensando bem, provavelmente a maioria dos mortais ja viu e/ou jogou, mas nao teve a mente tao visualmente impregnada pelo nome do pais-que-nao-existe do war. alias, pq sera isso?

ps. desisti do blog.
 

At 3:40 PM, novembro 16, 2007, Blogger Rodrigo Rego said...

Luysa, não desista do blog! Seus comentários acrescentam tanto aqui, que sem dúvida você tem munição pra ter um muito legal. Pense novamente, siga o exemplo do Alexandre. Eu certamente seria seu leitor.

Quanto ao nome, acho que no fim ele cai na praia do criativudo. Existe diferença entre criativo e criativudo. Criativudo pe quem deixa a criatividade se sobrepor ao projeto, de uma forma que se não atrapalha a navegação, incomoda quem está vendo. Eu tenho essa tendência, mas não quero deixar ela transparecer no meu site.

Mas claro que ele não vai ser só um monte de trabalhos em scroll, não é porque eu desisti de Dudinka que preciso seguir pro caminho oposto.

Aliás, eu não desisti de Dudinka por completo, só como site pessoal. Mais sobre ela em breve.
 

At 1:34 PM, novembro 21, 2007, Blogger Luyza said...

ok, ok... vc tem razao, o projeto dudinka eh criativudo, coloca a ideia acima da sua utilizacao. Mas valeu a discussao, gosto desta pulsacao de cerebros que elas provocam. Pensar eh um bom exercicio diario... vou repensar no blog, talvez mais como uma maneira de manter contato rotineiro intelectual saudavel com alguns semelhantes no meu pais de origem? Podia comecar com o resultado de 2 anos de observacao sobre alemaes... nao sei... se expor publicamente nao eh comigo.
 

At 3:31 PM, novembro 21, 2007, Blogger Rodrigo Rego said...

Um blog não é necessariamente um veículo de exposição pública, mesmo que seja um blog pessoal. Eu mesmo quase não me exponho. Quem quiser procurar aqui não vai achar nem o nome da minha firma, nem o meu endereço, nem nada muito relevante sobre meu círculo de convivência. Não fico nem um pouco confortável em revelar minha intimidade, basta ver meu orkut. E no entanto, esse espaço já vai pro terceiro ano...

Acabaram as desculpas! Blog já!
 

Postar um comentário

Profile

Rodrigo Rego

Sou designer, fascinado por bandeiras, jogos de tabuleiro, países distantes, e uma miscelânea de assuntos destilados quase semanalmente neste espaço.

Visite meu site, batizado em votação feita aqui mesmo, Hungry Mind.

rodrego(arroba)gmail.com
+55 21 91102610
Rio de Janeiro

Melhores Posts
Posts Recentes

Powered by Blogger

Creative Commons License