sexta-feira, maio 13, 2005

Conversa Virtual

As três horas diárias de S-Bahn entre casa e faculdade nao dao margem só a lutas sanguinolentas com palpiteiros da civilidade urbana. Também sao fonte de inspiracao. Já compus várias músicas, redigi textos desse blog, reavaliei projetos de design enquanto olho meditabundo pela janela.

Hoje passei a viagem pensando numa possível conversa entre eu e um alemao hipotético sobre essa onda de revisao do Nazismo que a Alemanha tem sofrido, cujo mais novo produto é esse filme que humaniza Hitler e conta como foram seus últimos dias (que eu ainda nao vi). O alemao hipotético criticaria esse revisionismo, ao que eu retrucaria que o acho muito importante, nao só pelo argumento já batido de que encarar o Führer como um monstro sem alma é uma forma de deixar de aprender com seus erros, mas também pelo bem da própria Alemanha. Explico.

O que se nota aqui, mais claramente do que se pensa, é que o povo alemao carrega como fardo o fato de ter hospedado e acolhido de bom grado a ditadura nazista. O tema é tratado mais ou menos como os devotos tratam o diabo, "aquele que nao se pronuncia o nome": pouco se fala, pouco se discute, e fazer piada (já senti na pele) é quase um crime. É como se os "arianos" tivessem uma carga de malvadeza genética cunhada na raca, da qual têm extrema vergonha, pois só isso explicaria as atrocidades que foram cometidas com seu respaldo.

Tenho pra mim que, claro, carga de malvadeza é uma pinóia e que isso poderia acontecer em qualquer nacao com o histórico recente similar ao da Alemanha pós-Primeira Guerra que empossa um maluco feito Hitler (e tá cheio deles aí, com idéias se bobear ainda piores).

Já ouvi vários alemaes aqui falando que, se dependesse deles, expulsariam todos os turcos de Berlim, e só nao endossam o coro porque o resto do mundo ia cair de pau chamando de nazista. Que besteira, penso eu, se o mundo tem que cair de pau na Alemanha, nao é por causa da história negra do século anterior, mas pela atitude proposta, extremamente egoísta, de dar um passa fora num povo que eles mesmos chamaram anos atrás pra preencher vagas de trabalho ociosas. E os preconceituosos, numa habil inversao, passam a ser os habitantes do resto do mundo, e nao as pessoas que querem deportar os turcos. O passado "intocável" da Alemanha antisemita acoberta esse tipo de crime atual. Da mesma forma, traumatiza aqueles que acham que só tem neonazista na Alemanha, onde evidentemente a concentracao é maior, mas nao pelo maucaratismo do povo, e sim porque esses eventos fazem parte da história alema, e como tal, influenciam quem estiver propenso a ser influenciado. O revisionismo sobre Hitler ajuda a libertar a Alemanha dessas grades. No Brasil ainda tem gente que acredita em Antônio Conselheiro.

Mudando de assunto: essas conversas virtuais sao ótimas pra se desfilar argumentos enquanto explana para um ouvinte hipotético passivo e um pouco burro, que sempre aclama a sua lógica perfeita sem contraargumentar, ou no máximo intervindo com senoes facilmente rebatíveis. Assim toda a sua retórica parece fazer mais sentido - falando em tempo real com alguém, eu nunca consigo juntar as coisas da melhor forma e sempre dou brecha pra uma contestacao plausível. Achei que era o único que me utilizava desse tipo de recurso, mas recentemente descobri que um amigo mesozóico meu, o Vítor - nao sei se ele lê essas maldigitadas - o faz de forma até mais radical, a ponto de depois nao sentir nem vontade de discutir com a pessoa o que já fez internamente - a simulacao já esgotou todos os possíveis ponto de vista.

Viva as conversas virtuais!

8 Comments:

At 9:42 PM, maio 15, 2005, Anonymous Anônimo said...

Grande Rego, po, esqueci minha senha no blog, mas pelo visto ja estao send aceitos posts anonimos aki, entoa volto a postar, o q aconteceu? a grande invasao das maes no blog? a linguagem deve ser mantida em nivel aceitavel ou elas sabem os filhos q tem e podemos aloprar de novo?da proxima vez q vc cortar a cabeça de alguem, esquenta bem uma frigideira, e dps vc apoia o pescoço na firgideira quente, cauteriza e para o sangramento, ah, recomendo q vc troque as cabeças regularmente pra evitar o mau cheiro. qnto ao feijao, pq vc n vai com saco plastico no bolso, e discretamente faz um estoque desse feijo, ai congela e dps vai esquentando qndo quiser comer. alguem sabe omo eu faço pra saber a senha do meu blog? noticias d odiogao? ate semana passada ele estava bem, careca mas bem.

Santiago
 

At 6:57 AM, maio 16, 2005, Blogger Mauro said...

Caralho, essa eu simplesmente adorei! Eu achava que era um autista anormal por ficar falando sosinho. Agora eu sei que sou um autista perfeitamente normal. Vê se aluga por aí um filme Holandês/alemão, chamado "De Twelig" ou algo parecido que quer dizer as gêmeas. Esse vai além de todo o revisionismo que eu já vi, chega a humanizar até a SS (eu fiquei meio chocado com isso), mas é um filme bem dramático, sem apelar pra violência.
Também li um livro do Frederik Forsyth chamado "O Dossiê Odessa" que também explica como a 'culpa coletiva' ajudou os verdadeiros culpados pelo holocausto a escapar.
Ah, vc mora longe assim da Universidade? É a universidade que fica afastada de Berlim ou é você?
 

At 6:59 AM, maio 16, 2005, Anonymous Anônimo said...

Ah, sugestão pra passar o tempo nas viagens: Você já ouviu falar de livro?

O Comentador Mascarado
 

At 3:21 PM, maio 16, 2005, Blogger Rodrigo Rego said...

mauro, eu falo internamente, nao costumo ficar emitindo sons nao cara. Ate porque ia ter que fazer outra voz para dialogar comigo mesmo, e ia dar a imrpessao de ser ainda pior. O maximo que eu faco de audivel eh assobiar e cantarolar.

santiago, cacete, vc esta nos privando do seu blog soh porque esqueceu a senha? faz outro, po!

e comentador, andei checando ali embaixo, e todos os comentarios que tem o alexandre nao tem voce, e todos os que tem voce nao tem o alexandre. Coincidencia? Odeio ler em meios de transporte, ja o alexandre, ate onde eu sei, adora.
 

At 9:53 PM, maio 23, 2005, Anonymous Anônimo said...

Oiii
Meu nome é Luciana e eu encontrei seu blog por causa do Ricardo, que estudou no Goethe comigo e comecei a lê-lo logo que cheguei em casa do Baukurs e resolvi me manifestar após ler esse post...
Gostei dessa nota e lembrei de um filme que assisti no festival do Rio chamado GEGEN DIE WAND, que mostra a questao dos turcos na alemanha. Claro que é um romance, mas mesmo assim vale a pena assistir... Vi também o UNTERGANG e é muito interessante... imagino a questão da segunda guerra discutida com um alemão... Gostaria de saber mais sobre a reação das pessoas aí sobre esse filme..
Achei interessante, até mesmo pq consegui entender meia duzia de palavras, mas ele também me fez refletir sobre o meu desejo de ir para alemanha estudar tudo isso.
Termino aqui...
Luciana
 

At 7:07 AM, maio 24, 2005, Blogger Rodrigo Rego said...

Oi Luciana,

não sei que efeito teve o filme na Alemanha, porque ele estreou aqui há mais de um ano, e só foi pro Brasil agora. Agora, assunto segunda guerra aqui é tabu, de um modo geral ninguém fala, só agora o meio artístico começou a pôr o tema em pauta.

Outro dia teve em Berlim uma manifestação do Partido Nazista, uma palhaçada com aquelas saudações e gente marchando. O engraçado é que isso é permitido, claro que fica um monte de guarda em volta, mas o partido é legal pela constituição.

Acho interessante por ser talvez a melhor forma de mostrar a superioridade da filosofia democrata, mas sei lá, vai que dá um chabu aqui e os caras acabam assumindo o poder...

Você estuda o quê, História? A Alemanha deve ser o país de história recente mais rica, ainda dá pra senti-la na cidade. Deve ser uma boa estudar isso por aqui mesmo. Vou procurar esse filme que você falou.

Apareça!
 

At 2:21 PM, maio 24, 2005, Anonymous Luciana said...

Oii
Eu estudo Comunicação agora...
mas fiz cinema... Sempre gostei de historia e o livro que eu mais amo é O DIARIO DE ANNE FRANK, sei que pode parecer um pouco idiota, mas li quando tinha 13 anos e fiquei apaixonada pela historia dela e da alemanha... estudo isso sempre que posso... Estou fazendo um roteiro 2ªGM na alemanha, polonia e Austria... é um sonho ainda...
fala para o pisciano que mora com vc que eu mandei um beijo, por favor?
Como estao as coisas aí...
Tenho me divertido com o seu blog e com as fotos! Quero muito ir a Praga um dia!!!!
Espero noticias dos dois... e também, se possível do cinema alemao! sem querer abusar...
depois que vc ver o Contra parede, manda sua opiniao!!
Termino aqui...
Bis Bald...
 

At 11:13 PM, fevereiro 10, 2006, Anonymous  said...

Verdade que os Alemães que nascem já caregam consigo o "pecado original" e tem vergonha de algo que não cometeram.
Mas não seria melhor ter vergonha de algo que não se cometeu, do que ter orgulho de ser "esperto" como acontece aqui no nosso país? Onde a lei de Gerson prevalece em todas as camadas sociais, e é quase uma regra de âmbito nacional. Principalmente para os políticos? !!
Vergonha ou Cara-de-Pau? Ser ou não ser, eis a questão!
 

Postar um comentário

Profile

Rodrigo Rego

Sou designer, fascinado por bandeiras, jogos de tabuleiro, países distantes, e uma miscelânea de assuntos destilados quase semanalmente neste espaço.

Visite meu site, batizado em votação feita aqui mesmo, Hungry Mind.

rodrego(arroba)gmail.com
+55 21 91102610
Rio de Janeiro

Melhores Posts
Posts Recentes

Powered by Blogger

Creative Commons License