quinta-feira, junho 30, 2005

A Torre de Pisa

Estar diante da Torre de Pisa dá um certo frio na barriga. Ela surge atrás de uma esquina comprida, e mesmo sabendo pelo mapa que ela já já vai aparecer, continua causando surpresa. É o momento em que o ícone, a lenda, o massificado cartão postal italiano sai da quadricromia das revistas e se materializa tresdê aos seus pés, com frente, fundos e gente andando em volta. Vira realidade.

O único problema da Torre de Pisa é a cidade que a cerca. Não que Pisa seja uma cidade feia - não é feia nem bonita, gorda nem magra, não fede nem cheira. E justamente por ser um zero à esquerda é que toda a economia de Pisa está centrada neste campanário - pois é isso que a torre é, um suprote de sino de igreja que deu errado.

E cobram quinze euros a entrada. Quinze! Pela taxa de câmbio, dá R$52,50 pra subir, ver a vista rapidinho e descer, em cronometrados trinta minutos e um monte de japonês atrapalhando. Quinze euros pra ver por dentro o clichê das viagens, que se for parar pra pensar, não é nenhuma maravilha estética, está mais para um paradigma de incompetência do cálculo estrutural.

Eu não paguei. Eu não compactuo com extorsão dirfarçada de cultura, com o turismo automático da bandeirinha do guia, por mim Pisa minguaria lentamente até a ruína. O problema é que os japoneses não partilham dessa mesma ética mochileira, eles seguem como tratores fotografando e sustentando essa indústria do mal, o que deve garantir boa sobrevida ao turismo-espetáculo.

Seguindo a mesma lógica, passei longe também da uma hora de fila ao relento pra ver o piru do Davi do Michelangelo - e depois ainda comprar a cueca do piru, artigo mais comercializado em Florença - e das três horas pra ver a Vênus de Botticelli, que diga-se de passagem vejo todo dia sem cabeçada na frente quando abro o Illustrator. Quer dizer, seja por ética ou pãodurice, acabei não fazendo muita coisa nessa viagem pelo norte da Itália. E o pior é ter a impressão perene de que os japoneses estão sempre se divertindo muito mais do que eu.

12 Comments:

At 1:39 PM, junho 30, 2005, Anonymous Anônimo said...

oiiiii Rody!!!
Desculpa não comentar a tanto tempo, mas eu estava mto enrolada com provas.... FÉRIAS AQUI VOU EU!!!!(já era tempo)
vc voltou a pouco tempo da viagem? Afinal vc gostou ou não da torre de pisa? e que diabo é isso de japoneses (invenção sua?)
Falta pouco pra gente ir praí!!!!! vc vai ou nao ter que fazer estagio enquanto a gente estiver aí?
saudades
Lety
ps: só a nossa vó pra ligar bem no meio da festa e falar pra não beber...hehe
 

At 6:26 PM, junho 30, 2005, Blogger Rodrigo Rego said...

Olha só que luxo, a familia quase inteira vai estar na europa esse mes...

Le, os japoneses sao turistas que geralmente viajam a reboque de um guia e nem prestam atencao no que estao vendo, só tiram fotos, daí a implicancia.

Ainda nao descobri a coisa do estagio, me liguem amanha pra gente ver isso, provavelmente só vou estar em casa lá pras 12h da noite... é semana de entrega e eu passei a ultima viajando.
 

At 10:11 AM, julho 01, 2005, Blogger Mauro said...

O negócio dos japoneses é que eles têm muito mais dinheiro que tempo livre. Pior que os japoneses são os americanos. Os japoneses sustentam os exploradores de turistas, mas são os americanos que revelam o mercado. As manadas de japoneses só vão nos lugares muito populares. E quem são os primeiros turistas a torrar dinheiro quando uma destinação começa a se popularisar?
Os americanos! Os lugares podem ser rústicos, até baratos contanto que os americanos ainda não tenham descoberto. O preço vai, a partir daí, subindo até que os americanos comecem a achar que tá ficando caro demais. Se a moda de fazer safari pra gringo na favela crescer, até a favela vai ficar cara.
 

At 1:06 PM, julho 01, 2005, Anonymous Bàrbara said...

nossa... muita raiva da praga dos japoneses... qdo eu fui no Museu Reijks, em Amsterdam, eles não só se amontoavam na frente dos quadros, como também ficava uma guia gritando! Malditos!

A Torre de Pisa.. hmmm.. confesso que, se eu não tivesse ido pra lá de graça, teria pedido meu dinheiro de volta. Ela tem um terço do tamanho que eu pensava, parece réplica estilo Barra da Tijuca!

E os planos pro verão aí de vcs? Paris? Londres? Ai, ai... vida boa

bjs
 

At 4:40 PM, julho 01, 2005, Blogger Rodrigo Rego said...

mauro, nao entendi como vc chegou a conclusao de que sao os americanos que abrem as portas do turismo. Se vc for ver pelo menos no Brasil, essas paradas de nordeste e etc, tem muito mais europeu que americano, e por padroes internacionais, ainda dá pra considerar nordeste, chapada, pantanal e etc. como areas "virgens" de turismo, nao?

barbara, como vc conseguiu ir pra torre de pisa de graca??? Que mamata foi essa??? E os nossos planos sao de ir pra Holanda, mas ainda nao tem nada confirmado, depende do estagio... o cara tá enrolando até agora pra dizer quando comeca, onde vai ser...
 

At 1:24 AM, julho 02, 2005, Anonymous Marcela said...

Japan rules!
É só isso que tenho a dizer hihihihihihihihi ^_^

beijundas!!!!
 

At 1:55 PM, julho 02, 2005, Blogger Maninha ou Mamae said...

oi Di,

Esses tais de japoneses viajando pelo mundo sao uma praga. Estao em todos os lugares ,e, quando muitos deles resolvem se despedir de alguem em um aeroporto ,é muito engraçado e estranho ,porque eles ficam todos um do lado do outro se curvando para a frente sistematicamente, todos juntos cumprimentando ao mesmo tempo quem vai embora. Parece uma dança/coreografia ou algo semelhante e eles nao param . Ficam uns 10 minutos sem parar assim. Uma vez vi isso e achei muito peculiar.
Rodrigo ,estamos ansiosos pra matar as saudades de voce.
Nos aguarde , vamos chegar com a corda toda...
beijos
 

At 7:14 AM, julho 03, 2005, Blogger Alice said...

É, são áreas onde o turismo ainda é relativamente mais barato (tudo é mais barato que no Rio, pelo menos em Natal eu notei isso). Essa tranquilidade ainda existe por lá pq ainda não virou moda entre os amricanos. Já me dizem que hoje é super caro ir a Cuba, turista tem que pagar tudo em dolar (mas por outro lado, a maior fonte de turistas de lá é o Canadá, não os EUA).

Acho que o seu argumento até concorda com o meu direitinho.
 

At 7:15 AM, julho 03, 2005, Anonymous Anônimo said...

ops, era o mauro postando do computador da alice.
 

At 1:43 PM, julho 03, 2005, Anonymous Lili said...

Oi Rodrigo!
Nossa, finalmente conseguindo comentar - o blogger não tava deixando.
Pois na 4a-feira estive no Museu da República e o Zúñiga me mostrou seu blog (e o da Ilana tbe). Ele é leitor cativo. Pois adorei teu blog e tou lendo direto tbe. Até te linkei no meu.
Bacana os relatos que vc faz da sua viagem... tou viajando junto com vc.
Beijos!
Elisa (da Museologia, lembra?)
 

At 7:33 AM, julho 05, 2005, Blogger Rodrigo Rego said...

Gostei da tônica dos comentários deste post. Nos próximos, sacanearei os pretos e os judeus, os japoneses foram só aperitivo.

Que aliás, Marcela, pelo que soube não têm nada a ver com a história, coitados, pagaram o pato. Quem entupia Florença eram chineses, soube por outras fontes, mas chinês e japonês é tudo igual, que nem caminhão de japonês.

Elisa, caramba! Esse blog anda me fazendo rever algumas amizades antigas. Bom saber que vc está lendo aqui, a partir de agora tou lendo o seu também!
 

At 10:32 AM, fevereiro 12, 2006, Anonymous  said...

Lamento informar, mas os japoneses estão definitivamente se divertindo muito mais do que vc!HUA,HUA,HUA Até porque é o "barato" deles tirar 500mil fotos para dizer: "Estive lá"! - Coisa que, diga-se de passagem, brasileiro e americano também fazem...
Agora, pena mesmo foi vc ter predido a oportunidade de ver o piru do Davi, pois o que está entorno do piru é que é muito legal. Pode imaginar um gigante daqueles feito de um bloco só e com todos os músculos,veias e pelos,tudo perfeito?!
O segredo para entrar na Galeria é:Chegar 1/2 hora antes de fechar. Daí, vc não enfrenta fila, e melhor ainda, nem paga.
Vi o piru do Davi 5X....
 

Postar um comentário

Profile

Rodrigo Rego

Sou designer, fascinado por bandeiras, jogos de tabuleiro, países distantes, e uma miscelânea de assuntos destilados quase semanalmente neste espaço.

Visite meu site, batizado em votação feita aqui mesmo, Hungry Mind.

rodrego(arroba)gmail.com
+55 21 91102610
Rio de Janeiro

Melhores Posts
Posts Recentes

Powered by Blogger

Creative Commons License